screenshoot_17_12_2020_14_40_16.png

IARA

Desenvolvido pelo coletivo britânico de arte e tecnologia Invisible Flocks, o trabalho “Iara”, busca entender o ciclo de vida da árvore Macacarecuia (Eschweilera tenuifolia (O.Berg) Miers), uma das árvores mais antigas da Amazônia, com aproximadamente 1200 anos. A obra presta uma homenagem a árvore que é considerada a mãe dos igapós - florestas sazonalmente inundadas nas margens de rios de águas escuras. Muito abundante ao longo do Rio Negro, a árvore Macacarecuia tem um crescimento extremamente lento e pode viver até 10 meses do ano submersa nas águas da Bacia Amazônica.

 

Em colaboração com os cientistas Jochen Schongart e Ricardo Perdiz, os artistas do coletivo Invisible Flocks traduzem em imagens e sons descobertas e dados importantes sobre esta milenar espécie: como a árvore é polinizada para sobreviver ao longo dos séculos, como seu ciclo está sendo afetado pelas mudanças climáticas e como as hidrelétricas estão alterando o pulso de inundação natural de seu habitat.

Invisible Flocks Curriculum

Invisible Flocks é um premiado coletivo de artistas britânicos, cujo trabalho é focado na interseção de arte e tecnologia. Com a missão de gerar impacto positivo nas sociedades onde atuam, os artistas utilizam a tecnologia para gerar conscientização sobre conservação, mudança climática e bem-estar social. A partir da criação de ambientes imersivos, altamente sensoriais, questionam o público a renegociar sua relação com o mundo natural. Seus trabalhos já foram apresentados na Inglaterra,

Cazaquistão, Quênia, Nigéria, Indonésia, Catar, Índia e Finlândia. Convidados pelo Festival LABVERDE será a primeira vez que se apresentam no Brasil.